quinta-feira, 15 de março de 2012


Por seres poderosa,
Rainha ou plebéia sempre cheia de Graça
Por seres a face oculta dos homens
Em sua melhor porção
Por enriqueceres esse chão
Dos benditos frutos  do teu ventre e coração
Por seres amada por muitos
Nem sempre compreendida
Por te ergueres do chão
Por mais que dura seja a queda
Por seres forte e não descuidares
 Da doçura que   em ti medra
Por seres assim inteira
Minha mãe, minha amiga
Tia, filha, avó,irmã,
Linda sempre em qualquer estação
Por seres de Deus tão querida
Bendita seja aquela que te deu à luz
Uma mulher humana e inteira
Bendito seja o amor que te designou
Transeunte dessa terra
Com teus pés traças a esperança
Com teu olhar configuras a paz
Que vicejará por tuas mãos!


domingo, 8 de maio de 2011



Minha Mãe é MELHOR
Eu estava numa fila de espera imensa... E ao contrário do que a gente diz, pedi para nascer sim!
Queria ter a chance de viver outra vez... Outra coisa que a gente sempre diz: “Eu só queria ter outra chance... Ah se Deus me desse outra chance...” Pois Deus me deu outra chance que eu muito e precisava.
E mesmo com todos os meus defeitos, ela me quis...
Quis que eu vivesse por ela e passou tudo aquilo que as mães passam: noites insones vigiando uma febre, as preocupações com a minha sobrevivência e a minha educação. As lutas infinitas que a vida trás...
Eu sou privilegiada porque a minha mãe é assim...
Mas eu sei que nem todas as mães são a tradução de amor que a gente idealiza.
 Muitas sucumbem no caminho por razões que a gente desconhece...
O que acontece é que mesmo quem não teve a mãe sonhada, mesmo assim pode ser uma mãe carinhosa de alguém, porque não estamos condenados a repetir os mesmos erros com os outros, nem fazer aos outros o  mal que porventura passamos...
Minha mãe é a melhor! Ela está na minha vida na medida certa do que preciso...
Eu a amo muito porque, dentre tantas coisas que ela podia fazer, ela  me acolheu em seus braços e  me olhou com olhos de amor, tão intensos e  tão perfeitos que esse olhar amoroso até hoje me acompanha  estará comigo mesmo quando ela fizer a grande viagem  para um lugar onde depois nos encontraremos!

Obrigada por tudo Mãe. Eu te amo para sempre!  

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A COR DA VIDA

Já não escrevo poemas.
A vida faz seus movimentos
Tranpondo-nos de  lugares
Feito dunas ao vento.
Areias movediças parecem sugar
Esfoço e energia,
Sonhos e ilusões.
E se não há galhos salvadores às margens
O viandante perde a vida
E as esperanças  são soterradas.
Mas os climas e os espaços
Felizmente não são apenas dunas e areias movediças...
Podem ser um manancial de aprender
Um livro novo que se faz ao escrever
Sem pressa e sem tensão de se chegar ao final
Cada palavra, cada sentença, pode ser saboreada
Condensada, mas não tensa...
Os amores não precisam ser lúgubes
Nem os romances tórridos
Nem feito de olhos mornos
Precisam ter apenas o sabor da vida!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

PORQUE NOS DEIXAMOS ARRASTAR?

Porque nos deixamos arrastar?
Não sei se  o que há é um ritmo tenso de vida, e de cobranças, e de compromissos...
O certo é que não se pode ser feliz, mesmo o que é possível nesse planeta, se  nos deixamos arrastar por essa corrente avassaladora...
Um grande jogo de interesses pessoais legítimos ou não continua em voga...
Em alguns momentos seria  preciso deixar pra lá... Não levar tão à sério... Não sei...
Aí entram os conflitos intimos de personalidade.
Pessoas mais ou menos compromissadas, mais ou menos flexíveis, mais ou menos  sequiosas por dinheiro ou poder; mais ou menos autoritárias, etc.
Quem haverá de dizer  quais reações são produzidas pelo limiar do convívio  com a insanidade?
Adoece-se no lidar estressante com mentes doentias?
Quem pode  afirmar : Eu não me abalo?
Quem terá realmente o controle de si mesmo, mediante situações limítrofes?
Em que medida  podemos nos colocar à parte, quando mergulhados nas  circunstãncias?
Talvez tudo seja altamente relativo e dependa, das pessoas, suas histórias e circunstâncias.
Uma vez disse que os alienados parecem mais felizes...
Quem tem razão?
Priorizar às próprias necessidades  significa desrespeito aos outros?
Em que medida assumir responsabilidades pode  ser altamente insalubre?
Muitas perguntas. Poucas respostas. Muita busca...






sexta-feira, 23 de julho de 2010

Gérbera

Como pode  uma flor peregrina
Conter tanta beleza divina
Em suas pétalas em cor?
Cada caprichoso formato
Enlaça  a alma no ato
De pura expressão de amor
Gérbera!
Milimétricos desenhos
De contornos delicados
Nem  mesmo o mais fino bordado
Ou um tecido real
Compara-se à textura de tuas  pétalas
À feitura de teus traços
Em tuas cores me embaraço
Em contemplação genuína
És formosa e feminina
Nesses teus gomos perfeitos
Desenhados com esmero
Harmonioso e vibrante
De laranja sutil matiz
Qual o pintor virtuoso
Retrata-te a alma e o encanto?
Aqui vou eu buscando
Traduzir-te a alma bela
És perfeita, és singela
Criação pura de Deus!

segunda-feira, 12 de julho de 2010


Somos seres emocionais.
Nesse viés, o afeto que se tem para dar  e receber conduz a órbita da vida.
Carecemos de nos sentir queridos, amados, aceitos , desejados, tanto quanto carecemos do alimento que sustenta os nossos corpos perecíveis.
E continuaremos vida afora “carecentes” até desenvolver a capacidade plena de dar amor.
Quando a esse estágio chegarmos, a plenitude de saber amar, não mais seremos vulneráveis a “receber” amor, porque o amor que sentimos, pleno,  ocupará todas as lacunas do ser e se expandirá em onda permanente realizando o seu mister de trocas  harmoniosas e perfeitas.
Até lá, experimentaremos um amor eivado de pequenas ou grandes imperfeições: ciúmes, possessividade, inseguranças, mágoase intolerâncias  diversas...

sábado, 22 de maio de 2010

SOBRE ENGANOS E DESENGANOS

A gente  matura  com o tempo feito fruta...
Há coisas boas e imperceptíveis nesse amadurecer.
Também há confrontos e conflitos  sobre a percepção que tínhamos dessa realidade.
E as cortinas que estavam descerradas aos nossos olhos abrem-se e deixam ver um visual novo, que nem sempre, ou a maioria das vezes não é, nem  mais brilhante nem mais bonito.
Algumas pessoas levam pouco tempo até enxergar a realidade.
Outras, talvez por credulidade, ingenuidade, demoram-se muito a ver.
Caem facilmente no jogo de enganos e acreditam “por princípio” que as pessoas são aquilo que dizem ser...
Que não há jogos de interesse,  nem segundas intenções,  e que prevalece sempre a sinceridade,  a  lealdade, a  ética.
Mas o mundo não é assim.
As pessoas não são assim.
Durante anos pode-se viver uma relação nos moldes do engano.
Onde geralmente a boa fé, a pureza de sentimentos de um é usada a favor de quem é mais “ esperto”.
Há verdadeiros crimes que se cometem nessa área contra o ser humano.
Crimes que não estão previstos no código penal, apenas  na  consciência  ética inscrita em nós.
Talvez o mais comum deles seja manipular o sentimento das pessoas para que elas atendam aos interesses imediatos dos tais “espertos”. Esses costumam ser envolventes, charmosos, e sabem muito bem avaliar as fragilidades e as capacidades do outro, dimensionam bem as competências de que precisam se utilizar. Eles sabem dizer o que o outro deseja ouvir. Sabem ser ternos, carinhosos e amigos, desde que haja algum interesse na relação, algo a usufruir.
São incapazes de sentir remorso, porque pragmatizam e racionalizam os seus motivos e o seu “modus operandi”.
Se a situação muda, e não mais necessitam de “ganhar” a confiança, facilmente mostram a sua face.
Mas se em seguida necessitam dos préstimos da mesma pessoa, “voltam à carga”, sem o menor pejo. E seja por fragilidade, carência afetiva ou ingenuidade, conseguem o que desejam  sempre.
São excelentes atores, verdadeiros “camaleões”, profissionais em manipular emoções e sentimentos em seu favor.
Mas... Pode chegar o momento em que os “manipulados” por fim, deixam “a ficha cair” e os espertos ficam à descoberto.
Todo esse processo tem um ônus emocional importante.      De imediato, perde-se um pouco o brilho do olhar, e sente-se uma tristeza, talvez um sentimento de perda de uma  amizade (que nunca se teve!)
Depois,  pode-se analisar melhor a situação e creditar tudo isso a incapacidade de amar ou a capacidade de amar de cada um...
Talvez o mais importante seja dizer pra si mesma: aprendi. E seguir adiante sem desacreditar da espécie humana.
Mas nenhuma dessas situações acontece sem o beneplácito do tempo e talvez alguma ajuda  direta para não se cair nos mesmos enganos sempre.
Há que se saber “blindar” a alma e cuidar do  sentimento, e mesmo sem partir para o  extremo oposto do tipo “ não acredito mais em ninguém”, seguir vivendo  na intenção e na certeza de que  “ hoje é um belo dia pra se ter alegria”(Robertá Sá) e ser feliz  o quanto nos permita ser nesse mundo.